pisa-estudantes-csf_1-1024x683Alguns alunos de Partenope se mudaram para a Itália para estudar, assim decidimos escrever um artigo breve, com algumas informações, que por mais que sejam gerais, possam ajudar a se orientar na selva da internet.

Para você poder estudar na Itália tem que cumprir algumas diretivas emanadas pelo governo italiano, uma dessa é a idade mínima de 17 anos, quando não for acompanhado por um dos pais.

Antes de fazer a inscrição a qualquer tipo de faculdade, é muito importante você saber a que tipo de curso de “Laurea” quer acessar, pois dependendo se for a ciclo único ou não, tem procedimentos diferenciados. Vamos ver primeiro a diferença entre uma “laurea a ciclo unico” e uma “laurea 3+2”.

Os cursos de laurea a ciclo único são aqueles que funcionam segundo o antigo ordenamento, eles têm uma duração, dependendo da área, de 4 a 5 anos, ao fim dos quais você tem uma formação completa naquele campo como se fosse tudo junto graduação com mestrado. Normalmente esses cursos são alguns da área de arquitetura e todos os aferentes à medicina. Nesse caso o estudante tem que fazer uma pré-inscrição, já que é previsto um test para poder ingressar. São as universidades que em italiano se chamam “a número chiuso”, quer dizer com vaga limitadas. Essa pré-inscrição prevê, muitas vezes, que uma parte da documentação seja enviada ainda a distância.

A “Laurea 3+2” prevê três anos de graduação mais dois de mestrado, que correspondem a dois percursos separados. Obviamente quem não possui gradução, não pode fazer mestrado. Mas você não tem nenhuma obrigação de continuar sua formação depois do fechamento do ciclo de três anos. A primeira laurea se chama triennale ou laurea breve, corresponderia a uma graduação brasileira. Considerem que, apesar de ser um curso de duração de três anos, quase sempre você demora um ano a mais para escrever a “tesi di laurea”, que seria uma dissertação. O sistema brasileiro no final da graduação prevê a entrega de um trabalho escrito relativamente breve, na Itália também, mas é muito mais próximo de uma dissertação de mestrado e prevê a defesa diante de uma banca examinadora. A segunda parte desse sistema 3+2 tem duração de dois anos e corresponde a um mestrado, em italiano se chama láurea specialistica , specializzazione ou laurea magistrale. Essa última é um pré-requisito para poder continuar a carreira acadêmica no doutorado.

A parte burocrática é muito importante, pois antes de entregar toda a documentação para a inscrição é necessário você ter traduzido e legalizados os documentos no consulado italiano na sua circunscrição de residência. Depois essas etapas todas, o estudante pode entregar diretamente os documentos no ateneu ao qual pretende se inscrever. Clickando aqui terá o acesso ao link da circular do ministério da Universidade e pesquisa, especificando todas as etapas necessárias para um estudante estrangeiro finalizar a sua inscrição.

Uma outra coisa fundamental antes de partir é o visto temporário para estudante. Existem vários documentos a serem apresentados no consulado geral de Itália na sua circunscrição de pertecimento. É necessário nesse caso agir com antecedência e não chegar dez dias antes de partir, pois qualquer complicação pode fazer adiar a viagem. Clickando aqui, tem acesso à lista com toda a documentação pedida pelo consulado da Itália no Rio de Janeiro. É fundamental lembrar que sem inscrição ou carta de aceitação da faculdade, não pode tirar o visto. É bom lembrar que é sempre melhor ir já com todos os documentos listados, pois ao faltar um poderão pedir para você voltar novamente. Uma grande novidade é que a partir de março de 2016 não é mais necessário fazer a legalização dos  documentos, será suficiente a tradução juramentada, pois o Brasil aderiu a convenção Aia sobre o reconhecimento dos ato público.

Tratamos aqui um outro ponto importante para todos os que quiserem estudar na Itália: a questão das taxas universitárias. Na Itália a Universidade Pública é a forma de estudar mais comum, a didática é boa e apesar dos serviços universitários, tipo bandejão e residências, não serem excelentes, ainda garante a oportunidade a todos de estudar. As universidades particulares geralmente são polarizadas em dois tipos, ou são de escasso valor acadêmico, nesse caso frequentadas só para obter um diploma, ou são grandes centros de excelências (como a Bocconi). No geral o ingresso a uma universidade pública garante uma formação de boa qualidade. As taxas a serem pagas, são proporcionais à faixa de renda da sua família. Geralmente há uma taxa obrigatória que se paga no início do ano para às agências regionais para o direto ao estudo de 140 reais. Essa taxa serve para poder cobrir as bolsas de estudo para quem vai ter direito com base em uma candidatura. Todo mundo pode se  candidatar apresentando a ficha preenchida nos “enti locali per il diritto allo studio”.  Cuidado que o edital para se candidatar é anual, portanto tem que ver o prazo geralmente  é por volta da primeira década de setembro. Além da taxa regional,  tem mais uma a ser paga que vai para o Ateneu aonde você vai se inscrever. Estas são calculadas com base na sua faixa de renda, através de um formulário a ser entregado que se chama ISEE (indicador da situação econômica equivalente). Se calculam os salários familiares, as casas de propriedades e os filhos que ainda estão a cargo dos pais. Clickando aqui e seguindo na página 14 do anexo, há um exemplo de taxas por faixa de renda da Universidade Roma 3. Essas faixas de taxação mudam para cada Ateneu. Ainda assim acreditamos que o sistema de instrução na Itália seja mais acessível do que o sistema brasileiro.

Com base na área que você que cursar vai achar facilmente as especialidades dos vários ateneus, por exemplo, se sabe que em Milão e Turim há boas escolas politécnicas, que em Milão é bom ir para estudar moda, que em Nápoles e Bolonha há uma boa escola de direito. Essa informações para quem souber buscar na internet são de fácil acesso. Aliás, o site studenti.it na sessão “Orientamento”, poderá ajudar bastante a se orientar.

Caso você queira se profissionalizar no ensino da língua italiana sugerimos as duas Universidades para estrangeiros a de Siena e a de Perugia, com cursos específicos para o ensino da língua e da cultura italiana. Essas duas universidades recebem muitos estrangeiros  a cada ano e por isso funcionam já lidando com problemáticas e questões diferentes que agilizam a entrada no país.

Rispondi

Inserisci i tuoi dati qui sotto o clicca su un'icona per effettuare l'accesso:

Logo WordPress.com

Stai commentando usando il tuo account WordPress.com. Chiudi sessione /  Modifica )

Google+ photo

Stai commentando usando il tuo account Google+. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto Twitter

Stai commentando usando il tuo account Twitter. Chiudi sessione /  Modifica )

Foto di Facebook

Stai commentando usando il tuo account Facebook. Chiudi sessione /  Modifica )

w

Connessione a %s...